“Through art, one can effectively communicate social/political messages across a diversity of tribes with languages and cultural bases. Art can transcend the temporal limits of languages and speech.”

Lilian Mary Nabulime, Uganda Artist

 

 

APRIL, 2017

Jack Bell

Jack Bell Gallery, London

Gonçalo Mabunda interessa-se pela memória colectiva do seu país, Moçambique, que recentemente emergiu de uma terrível e longa guerra civil. Trabalha com armas recuperadas desde 1992, data do final do conflito que dividiu a região 16 anos.

A escultura, concebe formas antropomórficas a partir lança granadas, AK47, pistolas e outros objectos de destruição.

Se por um lado, se pode dizer que as suas máscaras mostram a história local da arte tradicional africana, por outro o trabalho de Mabumba demonstra um impressionante modernismo que poderá fazer lembrar Braque e Picasso.

As armas desactivadas da guerra transportam fortes conotações políticas, mas os bonitos objectos que ele cria trasmitem também uma reflexão positiva no poder transformista da arte e persistência e criatividade das sociedades civis africanas.

Mabunda é sobretudo conhecido pelos seus tronos. Segundo o artista, esses tronos funcionam como atributos de poder, símbolos tribais e peças tradicionais de arte étnica africana. Esta é, sem dúvida alguma, uma maneira irónica de comentar a experiência da sua infância de violência e o absurdo da guerra civil a que assistiu e que isolou o país durante um longo período.

 
POSTER.jpg

Gonçalo Mabunda

SOLO Exhibition

08.04.2017

Rua da Alegria 126, 2ºAndar, Lisbon

11H30 pm - 20h00 pm

 

 

 

 

 

 

+ VIEW AND DOWNLOAD PRESS RELEASE

+ VIEW AND DOWNLOAD EXHIBITION PDF